Seu browser não tem suporte a javascript!

Dia 9 de maio, quarta-feira

Integrantes da comissão externa da Câmara dos Deputados que acompanha o caso do assassinato de Marielle Franco e de Anderson Gomes se reuniram com o delegado da Delegacia de Homicídios para receberem informações sobre o andamento das investigações. Ontem (9) completou 55 dias do assassinato. 

Após o encontro, o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) disse que várias linhas de investigação já foram descartadas e que o cerco aos assassinos e ao mandante do crime está se fechando. Mas, segundo ele, o delegado preferiu não dar prazo para elucidar o crime.

A comissão externa é formada pelos deputados federais Jean Wyllys, Jandira Feghali (PCdoB-RJ), Glauber Braga (Psol-RJ), Érika Kokay (PT-DF), Luiza Erundina (Psol-SP), Wadih Damous (PT-RJ), Laura Carneiro (DEM-RJ), Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), Hugo Leal (PSD-RJ), Jô Moraes (PCdoB-MG), Maria do Rosário (PT-RS), Reginaldo Lopes (PT-MG), Alessandro Molon (PSB-RJ), Janete Capiberibe (PSB-AP) e Chico Alencar (Psol-RJ).

Foi amplamente divulgado que a arma usada para assassinar Marielle e Anderson foi uma submetralhadora, mas a polícia encontrou, no local do crime, projéteis de 9 mm que haviam sido roubados de um lote produzido para a Polícia Federal. Testemunha, protegida neste momento pela Polícia, envolve um vereador e um miliciano na autoria do crime. A testemunha é um ex-policial militar que está preso. 

A Polícia Civil deflagrou campanha e busca de bandidos que assaltam pedestres na Zona Norte do Rio. Com cartazes para divulgação, a polícia procura por suspeitos que formam uma quadrilha que assalta continuamente, com uso de facas, nos bairros de Vila Isabel, Andaraí e também nas proximidades da Universidade Estadual do Rio de Janeiro.

A Polícia Federal fez operação para prender gestores de fundo de pensão de transportes ferroviários. Os suspeitos tiveram prisão decretada.

Com seis dos sete conselheiros do Tribunal de Contas do Estado afastados por corrupção, 60 prefeitos tiveram contas reprovadas, o que significa um aumento de 650%.

A situação seguiu muita tensa na Cidade de Deus. Uma equipe das Forças Armadas fez uma incursão na comunidade alvo de inúmeras operações da Polícia Militar nos últimos dias. Traficantes buscaram refúgio na Vila Kennedy. Um tiro atingiu carro do Exército na operação em Vila Kennedy. 

As ações têm ocorrido para prender os suspeitos envolvidos na morte do capitão da PM Stefan da Cruz.

A Secretaria Estadual de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos registrou um aumento de 56% em casos de crime por intolerância religiosa nos quatro primeiros meses de 2018 em relação a 2017. 

Até amanhã, 

Equipe do Olerj