Seu browser não tem suporte a javascript!

General Braga Netto e consultor do Olerj avaliam desafios e resultados da intervenção federal na segurança do RJ

22/11/2018 às 10h52

O Interventor federal e o consultor da Câmara Sergio Senna falaram sobre o assunto em entrevista ao Painel Eletrônico. Ouça o áudio completo



A 40 dias do fim da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, a Câmara trouxe o tema para o debate. Desde ontem, a Casa promove um seminário para discutir os dilemas entre a legislação e o enfrentamento à criminalidade na intervenção federal, que teve início no dia 16 de fevereiro deste ano.

O evento é realizado pelo Observatório Legislativo da Intervenção Federal (Olerj), em parceria com o Gabinete da Intervenção Federal e o Observatório Militar da Praia Vermelha.

Para falar sobre o assunto, o Painel Eletrônico convidou o interventor federal, general Walter Souza Braga Netto; e o consultor da Câmara, Sergio Senna, que integra o Olerj.

Na entrevista, eles concordaram que a intervenção no estado tem sido positiva, com a redução da criminalidade e com a melhoria da autoestima dos policiais cariocas.

Para o general Braga Netto, a intervenção tem cumprido o papel para o qual foi decretada e, no momento, está sendo realizado o planejamento de transição. O interventor exemplificou o sucesso da operação citando o aumento da ocupação dos hotéis cariocas no último feriado, que atingiu 80% em relação ao ano passado, quando não chegou a 40%. Por esses e outros motivos, Braga Netto defende a continuidade das ações no Rio de Janeiro.

Quanto à experiência do Observatório Legislativo da Intervenção Federal, o consultor Sergio Senna afirmou que a atuação foi estritamente técnica e que o trabalho foi positivo, graças à cooperação entre a Câmara; órgãos e entidades federais, estaduais e municipais; e a população. Senna agradeceu publicamente não só ao interventor, mas também a todos os integrantes dos gabinetes da segurança pública no Rio. Segundo o consultor, a aprovação, pela Câmara, do Sistema Único de Segurança Pública (Susp), em junho passado, vai garantir a continuidade dos trabalhos no Rio com maior transparência e organização.

Fonte: Rádio Câmara